19 de abril de 2010

Saber Conviver: Achados em leituras




Coleciono a revista Bons Fluidos, adoro a forma como expõem temas, a diagramação, a ilustração. Não passo sem ela.

Mas eis que foi na Crescer que encontrei um artigo orientado à Espiritualidade familiar, aquela que vivenciamos no lar, que pais repassam aos filhos.

E é sabido hoje a leitura que fazemos do que venha a ser a Espiritualidade não é mais a de outrora, não é mais aquela rígida noção de dogmas e crenças das religiões monoteístas predominantes.

A forma de encarar a Espiritualidade de maneira "alternativa" não se circunscreve mais a apenas pequenos grupos como os nossos, os de pais e mães pagãos. Mas é vista entre outros coletivos.
Muitos dirão que é devido a um distanciamento/descontentamento entre pessoas e sua fé.
Outras dirão que é o materialismo imperando.

Mas penso que seja apenas uma nova forma de ler, encarar e viver a vida espiritual.

É claro que pesa muito mesmo a onda de desconforto que impera no hoje com a visibilidade e ênfase que a mídia deu e dá, e faz bem com isso, aos casos de abuso sexual que permeiam dentro de nichos religiosos.
Sendo normal ante tudo isso que as famílias busquem entender a Espiritualidade de uma forma mais intimista, mais "segura" para com os seus.


As autoras do artigo (Cristiane Rogerio e Simone Tinti) colocam a fala do professor Mario Sergio Cortella sobre o que é a espiritualidade:

" É tudo aquilo que torna a vida engraçada". (...) " o termo engraçado está associado ao render graças e, por isso, a espiritualidade é o que enche a vida de graça". p. 53. ed.193. dezembro 2009.

Nada mais completo que esta conceituação sobre dar leveza ao fazer espiritual, e sendo isso preponderantemente decisório no caso de desejar tornar esse fazer algo atraente aos olhos dos nossos filhos. Sem graça nada vai adiante!

No mesmo artigo surge uma pequena lista de "acontecimentos" que inserem dependendo da maneira como visto e feito, a Espiritualidade no cotidiano normal das nossas casas:



  • Prepare a torta preferida, com ele,
  • Ensine que abraçar não precisa motivo,
  • Conte as estrelas,
  • Coloque uma música,
  • Fale palavras de carinho,
  • Tenha um peixe,
  • Dê um beijo inesperado,
  • Faça cócegas,
  • Conte histórias,
  • Prepare aquele doce que ele adora,
  • Mostre que se importa com o outro perguntando como vai,
  • Recite uma poesia,
  • Andem descalços na Terra,
  • Cante alto enquanto cozinha,
  • Listem coisas que adoram fazer juntos,
  • Mexa com cachorros na rua,
  • Mostre a ele o beija-flor parado no ar,
  • Visite pessoas,
  • Invente novas brincadeiras,
  • Diga "bom dia" às pessoas e insista que ele faça o mesmo,
  • Peça que ele regue o jardim,
  • Pergunte como foi o dia dele e conte como foi o seu,


São coisas simples sim, você pode dizer agora, mas que podem passar desapercebidas no meio do corre-corre de sempre.

E no dia menos pensado, podemos perceber que não perguntamos mais com0 foram as coisas, ou que pressupomos eles sabem como foram.


Ao ler esse artigo que cito pensei que as dicas e listagem por elas proposta constroem algo muito especial que vai além do que pensamos, se delineia o "Saber Conviver", entendido por muitos como coexistir.

Pensei muito nesse conceito. Desde dezembro, logo é muito.

E tomo a liberdade de incitar, convidar pessoas que sei tem essa preocupação com o fazer diário espiritual a escrever, quiçá na trilha de um coletivo, sobre isso:


"Saber Conviver"

e da sua importância, relevância em nosso construir para uma nova geração mais voltada ao outro, ao respeito, ao saber viver com o outro.

Eis os convidados:




E todos os queridos amigos e colunistas, que acompanham aqui o blog. ;)

Repasse esta idéia, cite o Crianças Pagãs ao escrever sobre este tema, assim ajuda a divulgar nosso blog e nosso ideário!


Grata sempre,


Luciana Onofre

Germinando

14 comentários:

Livia Luzete disse...

Pode contar comigo. Mais uma vez adorei essa possibilidade de interação. Breve retorno anunciando meu post.
Beijo.

Luciana Rennó disse...

Parabéns pela iniciativa, vc sempre surpreendente.

Adorei a definição, as coisas mais simples expressam tão profundamente coisas q as vezes é tão difícil explicar.

Tb vou escrever algo, e nós que conviremos tb nesse espaço,do virtual, acho interessante pensar que nem sempre é regido pela gentileza e espiritualidade.

Assim, encontrar pessoas semelhantes é uma benção, e eu agradeço.
beijos

Vanessa Bianconi disse...

Lu (posso te chamar assim?)

Obrigada pelo convite!

Em breve post fresquinho sobre o tema!

Obrigada por passar sempre pelo tear!

Bjos!

Helene disse...

Mais uma excelente postagem e iniciativa.
Agradeço pelo convite, já postarei, fiquei tão feliz de ler o nome de meu blog aqui que mostrei a minha mãe :)

Helene disse...

Estarei também colocando o lindo Banner do Crianças Pagãs no meu blog.

Quimera disse...

Estamos precisando mesmo de algo do tipo... A convivência, com certas pessoas, é estressante, e através de pequenos gestos podemos mudar isso totalmente.
Beijocas

Helene disse...

http://kharisselene.blogspot.com/2010/04/saber-conviver-criancas-pagas.html

Hyvi disse...

Poxa! Luciana! Fico muito feliz e grata por estar inclusa neste grupo! Ainda não sou mãe, mas tenho uma enorme preocupação (e ocupação) do que será nosso futuro com essas coisinhas que nos quebram com um olhar, que faz um raio de sol surgir em meio um céu nebuloso.

Creio que todos os pagãos verdadeiros compartilham de minhas, suas e de todas as pessoas que você citou neste post!

Obrigada por compartilhar!

beijinhos e abençoada sejas!

Hyvi disse...

Luciana estou te convidado a participar da campanho pelos desabrigados em niterói. brigada

Quimera disse...

Texto devidamente postado no meu blog!
Beijocas

Luciana Onofre disse...

obrigada a todas!!!

:*

Livia Luzete disse...

Como prometido, aqui meu post:
http://chadas5ameianoite.blogspot.com/2010/04/saber-conviver.html
Um beijão!

Iz@ disse...

Querida, belissima iniciativa a sua, que vem sim de encontro com todas as idéias e somando, acrescentando, é a finalidade de estarmos aqui, escrevendo, tentando levar algo de melhor ao mundo e a nós mesmas.
Tbem ainda não sou mãe, estamos esperando a adoção ( pela demora vou acabar adotando um neto! kkk) mas certamente sera criado dessa forma, já numa familia pagã...
Obrigada pelo convite e já vai estar no meu blog tbem!
Tomarei a liberdade de enviar tbem nas aulas semanais que damos na minha Comunidade do Orkut, ok?
beijo e bençãos a vc..

Iz@ disse...

Luciana , veja como ficouo la no meu blog...
bjs..
http://bruxadoleste.blogspot.com/