2 de maio de 2008

Os sentidos, as crianças...

"Qualquer coisa que você disser será falsa, o seu toque mostrará isso. As crianças são muito sensitivas, você não consegue enganá-las. Você pode dar um tapinha nelas, mas elas sabem que esse é um tapinha morto. Se a sua mão não for uma energia fluida, uma energia amorosa, elas saberão. Será então como se uma coisa morta estiver sendo usada. Quando você está presente em sua mão, em sua totalidade, quando você se moveu, quando o centro do seu ser veio para a sua mão, quando a sua alma está ali, então o toque terá uma qualidade diferente."

Este é um pedaço de um texto chamado "Tantra - O caminho do coração". Ele me fez lembrar uma situação que vivi mês passado, durante meu estágio de Técnica em Enfermagem, na ala pediátrica de um hospital daqui.
Lá tem um menino de meses de idade que está com problemas respiratórios e nesse dia tinha começado com diarréia e vômitos... Estava internado há mais de uma semana já... Então ele já estava naquela situação que não podia mais ver ninguém de branco na frente dele, que já começava a chorar, agoniado.
Nesse dia foi a vez da minha parceira e eu cuidarmos dele (todo dia uma dupla ficava com um paciente diferente). E lógico que conosco não foi diferente... Toda vez que entrávamos no quarto, ele começava a chorar. Ela e eu já não sabíamos mais o que fazer pra tentar deixá-lo mais calmo... Íamos e voltávamos o tempo todo do quarto, pois tínhamos que cumprir nossas tarefas, mas ao mesmo tempo não queríamos deixá-lo naquele estado.
Até que, quase no final da noite, nós decidimos ficar no quarto um tempinho a mais... Tentar brincar um pouquinho, como nas outras vezes, mas dessa vez resolvemos insistir mais... Tentamos de todo jeito conversar com ele, fazer carinho, brincar... E nada... Só choro! Até que uma hora falei com ele de uma forma que o choro diminuiu... E eu pensei "Epa! Vamos repetir isso!"... Falei novamente... Nada de choro! Foi então que comecei a reparar que era o tom da minha voz que fazia com que ele deixasse eu me aproximar... Ele deixou até eu massagear um pouco as costas dele (no colo da mãe). Mas se a outra menina tocava ou falava, ele chorava novamente... Aí eu falava, ele ficava só dando aqueles gemidinhos, sabem?!
Foi uma experiência muito gostosa, e de onde tirei muito aprendizado, com certeza!
Percebi o quanto é importante cuidarmos dos nossos "toques", dos nossos sentidos quando estamos lhe dando com crianças...
É impressionante como elas são sensíveis!!!

Daniela Garcia

3 comentários:

Luciana Onofre disse...

Eu te digo como mãe, e como mãe de alguém que precisa de cuidados médicos: o toque e a voz marcam para sempre o pequeno paciente!

Te amo!

Quimera disse...

Também te amo!

([salix sam]) disse...

Trabalhar com crianças, e com crianças num hospital, deve ser uma experiência muito forte õ__õ'
Crianças são seres muito sensíveis...e tudo o que querem é liberdade pra brincar. Ficar num quarto de hospital deve ser muito chato e triste =/ Ainda bem que existem pessoas que buscam entendê-las pra ajudá-las, e não apenas ficar enfiando injeções e comida ruim .__.''^^ Isso aliás ajuda-as a se recuperar mais rapidamente^^....alegrando-as