4 de fevereiro de 2009

Relembrando...

Quando comecei minha busca por aquilo que eu acreditava, por volta dos 12 anos, eu comprei um caderno onde escrevi vários trechos de livros que eu lia, poemas, frases, etc, que podiam me dizer alguma coisa com relação à minha busca. Uma forma de registrar tudo que eu estudava. Neste caderno eu também escrevia alguns pensamentos meus.
Esse final de semana, olhando livros antigos, achei esse meu caderno perdido lá no meio, e comecei a ler... Fiquei impressionada com as coisas que escrevi quando ainda era, praticamente, uma criança. Em como meus pensamentos já eram direcionados para aquilo que eu acredito hoje.O interessante é que eram textos que eu escrevia sozinha, para mim, pois minha busca era totalmente solitária... Enquanto minhas amigas liam e sonhavam com os romances escritos naqueles livrinhos do tipo “Sabrina”, eu lia livros psicografados, de história e todo o tipo de matéria relacionada a religiosidade das pessoas.
Segue abaixo dois textos que escrevi nessa época:

“É engraçado como existem coisas na vida que nos fazem refletir sobre a espiritualidade das pessoas e a religiosidade das pessoas. E o mais estranho é que, com essa reflexão, chegamos a conclusão de que, conforme a tecnologia e a ciência evoluem, a nossa geração se afasta cada vez mais das respostas para as famosas perguntas: ‘Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos?’... Do significado de Deus em nosso dia-à-dia.Como podem, em pleno século XX, as pessoas ainda não acreditarem na única coisa que lhes dá a vida, ou seja, a alma. Sim, porque a alma é a representação de Deus dentro de nós, afinal quando Ele disse que nos faria à Sua imagem e semelhança, Deus não falava sobre nosso físico, mas sobre o nosso espírito, o nosso sentimento de amor e paz que devemos ter para com os outros e para com nós mesmos, caso contrário, Ele não nos teria dado esse mundo maravilhoso para cuidar.É uma pena que nós não estamos cumprindo a nossa tarefa como Ele queria. É doloroso ver que, por causa de pessoas egoístas, gananciosas e extremamente ambiciosas, estamos destruindo o maior presente que já nos foi dado em toda a eternidade, isto é, a vida”.

“Uma pessoa espiritualmente desenvolvida ou que mantém a mente aberta para todas as crenças e religiões, pode estar com os piores problemas materiais, mas ela será sempre feliz, pois sabe que Deus vai lhe mostrar os caminhos para a solução desses problemas e que cabe a ela escolher o percurso certo para o aperfeiçoamento da alma, porque os problemas materiais são como testes que Ele nos dá para provarmos que aprendemos nossas lições aqui na Terra”.

Daniela Garcia

7 comentários:

Luciana Onofre disse...

Eu acredito profundamente, que o humano com fé, consegue paz, amor e bem-estar.
Obrigada querida por compartilhar algo tão íntimo.

T.A.

Shin_Tau disse...

Já há algum tempo que acompanho este blog, mas não tenho tido muito tempo para deixar comentários, apesar de ler os posts com regularidade, hoje com esta partilha maravilhosa, decidi parar, reflectir e comentar.

Engraçado como muitas dessas tuas questões de infância ainda se mantém tão actuais. Em Portugal, vive-se um momento de loucura completa onde toda a gente anda a cuidar do corpo preocupada em excesso com a saúde(não me entendam mal, também é importante!) mas continuam a deixar de lado as questões verdadeiramente importantes - a alma, a busca espiritual. Quando será que compreenderemos que todos os males do corpo vêm da alma?

Achei curioso não te referires aos teus cadernos como diários. Tenho duas primas pequenas e tento incutir-lhe esse gosto pelo diário, hoje percebi que talvez lhe deva mudar o nome. Obrigada!
Mas o engraçado é que, ainda hoje tenho cadernos desses, e eu também não lhes chamo diários, mas Jornais.

Um beijo de agradecimento pela tua partilha maravilhosa.

Shin Tau

Quimera disse...

Nossa... Fiquei emocionada com esses comentários...
Na verdade, estava com um certo receio de postar esses textos (apenas dois dos muitos que tenho lá escrito, e nem lembrava), pois achava que eram infantis demais.
Mas acabei postando por refletir pensamentos que tenho desde criança, e que ainda não mudaram.
Obrigada pelos comentários... Obrigada mesmo!!!

Lú... T.A.!!!!

Beijos pra todos!!!

Fernanda disse...

Os seus textos expressam um maturidade extraordinária!
A sua alma deve ser muito "velha" e sábia...

Bjos

Quimera disse...

Obrigada, Fernanda!
=)
Beijosss

Tere Marques disse...

Nossa adorei este post, realmente ao escrever estes textos vc ja demosntrava uma maturidade tremenda.
bjss

oanonimo disse...

Que texto maravilhoso!
Tive uma infância com direito a todas as regras da ingreja católica, dos domingos de igreja a ser coroinha! Mas uma coisa sempre tinha em meu self, sairei de casa e encontrarei várias respostas e criarei milhões de perguntas.
E aqui estou eu! Seguindo as pistas...
Blog adicionado ao meu Reader!
Obrigado!