16 de janeiro de 2009

Respostas aos leitores!


Mariângela me escreveu sobre algumas dúvidas, que aqui respondo:

Quais assuntos abordar sobre o Paganismo?

Creio ser de suprema importância falar sobre as diferenças entre nossa crença e as “padrão”, enfatizando a questão: politeísmo, deidades, versus o monoteísmo=1 deidade.

Ao falar disto pode ser logo engatado o tema: tolerância, indicando quão valioso é respeitar aos que não acreditam como nós, em deuses, deusas, e o sagrado em tudo.

Incentivar a nunca entrar em discussão quanto à validade de uma ou outra crença, e sim a como são válidas todas. E por isso merecedoras de respeito.

Eu considero isto bem básico num diálogo principiante com a cria pequena.

Sobre descobertas de panteões...

Há os que naturalmente se encontram com um panteão e logo de cara se encaixam nele, e os que cultuam-são amigos de diversos deuses.

Para que haja isto, deve haver acesso a contos e mitos simples, sobre deidades.

Reparar que sendo crianças eles não estão aptos ainda a adentrar em detalhes mais profundos ou adultos quanto a mitos.

Logo reescrever o que “pode” ser entendido e contá-lo a eles é mais zen.

Sobre criar altares...

Eles enxergam o mundo nessa fase da vida, através dos olhos dos seus cuidadores, sejam pais, ou avós, parentes que os criem, em fim, são os cuidadores os que lhes emprestam os óculos para entender a vida, suas posturas, atos, costumes, ET AL..

Assim sendo, se é nosso hábito ter um ou mais altares, se percebem nossos cuidados, nossas horas de introspecção, nossos ritos, ele irão apreender isso tudo normalmente.

Às vezes eles “montam” seu altar ao seu modo, dentro da própria percepção do religioso, e do sagrado, aí então, não devemos jamais “arrumar direito” o altarzinho. Pois estaremos impedindo que eles tenham sua leitura pessoal do altar.

E haverá muito tempo pela frente para que eles em uma outra idade/etapa entendam a questão do altar dentro dos parâmetros que aquela tradição ou outra imprimem à suas ritualísticas.

Em suma o pulo do gato é deixar que os filhos participem do cotidiano sagrado sem mistificações, de maneira natural, e dar-lhes acesso a leituras sobre mitos, costumes, deidades.

Beijos!

Luciana


9 comentários:

Quimera disse...

Ah... Que legal saber que as pessoas estão lendo nossos textos e entrando em contato com dúvidas e tal... =D
Beijosss

Luciana Onofre disse...

Satisfação plena!!!

Mulher de fases disse...

Passando aqui contentíssima pelas respostas e pelas dicas!Seguirei teus conselhos!bjos mágicos...a todas!

Nadja Saori disse...

Muito legais suas dicas!!! tenho uma amiga que vai adorar le-las ^^
Beijooos

Luciana Onofre disse...

fico mais do que feliz!!!

Bruno M. Nunes disse...

poxa, maravilhosa a idéia do blog!!
parabéns mesmo!! estou adicionando ao meu pra vir sempre ler. penso em ter filho e com certeza educá-lo pagão até que ele possa fazer suas próprias escolhas.

.Carmim. disse...

Olá!

Você conhece o livro "Mulheres que Correm com os Lobos"?

Me interessei muito por ele logo que comecei a ler suas primeiras páginas. E desde lá tenho procurado fóruns para trocar opiniões, porém não encontrei nada.

Então fiz um blog para que nós, mulheres, possamos ter a oportunidade de compartilhar nossas idéias a respeito dos contos deste fantástico livro!

Se quiser conferir:
lobasquecorrem.blogspot.com

Um abraço!

Luciana Onofre disse...

Bruno sempre bem-vindo!

Luciana Onofre disse...

obrigada carmin pelo convite. ;)